"Quando eu morrer voltarei para buscar os instantes que não vivi junto do mar."
Sophia de Mello Breyner Andersen

.

quarta-feira, 5 de março de 2008

Deixa-me entrar!
Preciso!
Dá-me as respostas que tanto preciso...

Cada vez mais sei que o meu mundo não é este...
E cada vez se torna mais difícil viver assim!
No meu mundo...o teu...sou o que sou
Sem máscaras, sem pinturas, sem hipocrisia...
Sou mar...terra...ternura...amor
No mundo onde vivo não me é permitido essas características...sabes porquê?
Porque cobram sempre algo...
Não gosto disso!
Não sou assim....

Deixa-me entrar...
Sentir-me acarinhada...
Preciso tanto!

4 comentários:

Baraújo disse...

já bateste à porta?

:P tou a brincar... pois nem é preciso :P

falando sério... as imagens... bem... nem sei que te diga...
[talves já te disse :P]

beijo terno!

Baraújo disse...

só para saberes que vim aqui dar um mergulho. beijo

MIMO-TE disse...

Lindo, como entendo estas suaves palavras!

Bjo
Mimo-te

Flôr de Luali disse...

como te compreendo...tenho esperança que um dia o mundo mude e que seja um mundo onde poderemos ser apenas nós proprios, onde poderemos despir todas as máscaras e viver o que somos e como somos...mas enquanto esse dia não chega... bom será ter alguem que nos aceita e nada nos cobra por sermos quem somos...e que simplesmente nos ama:)

Gosto dos teus cantinhos...
Desejo-te um fim de semana inspirador e recheado de amor, luz, paz e alegria:)
Andreia