"Quando eu morrer voltarei para buscar os instantes que não vivi junto do mar."
Sophia de Mello Breyner Andersen

.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

.
Sem pressa, espero-te...
Sem ilusões, gosto-te...
Sem dúvidas, quero-te...
.
Espero-te, com ternura...
Gosto-te, com carinho...
Quero-te, com certezas...
.

5 comentários:

Francis disse...

E é nesta lassidão, neste trilhar de caminho de espera sem pressas, que as ilusões se tornam em ternura e carinho e as dúvidas em querer.
Há momentos assim, há certezas!
Beijocas.

Maria Souza disse...

Oi Amiga
Lindo o seu cantinho de poesia...
Adorei. Parabéns

ZeManel disse...

Ou…
Espero-te, gosto-te e quero-te...
Com ternura, carinho e certezas...
Sem pressas, ilusões ou dúvidas…
Bjs ;)))

Angel disse...

bemmm...palavras para quê...;)

poetaeusou . . . disse...

*
em espera,
das certezas . . .
,
maresias te envio
,
*